+55 41 3026.2610

Notícias Central Press

ADE/Granfpolis lança programa para gestores escolares

Postado no dia: 6 de setembro de 2018
ADE/Granfpolis lança programa para gestores escolares
  1. Eliziane Gorniak, diretora do Instituto Positivo Créditos: Divulgação

União e troca de experiências é ferramenta importante para aprimorar práticas de gestão das escolas

Cerca de 500 profissionais da área da educação se reúnem no dia 10 de setembro, em Florianópolis, para o lançamento do programa “Gestores Escolares em Movimento”. Promovido pelo Arranjo de Desenvolvimento da Educação (ADE) da região da Associação de Municípios da Grande Florianópolis (Granfpolis), o evento acontece no Cambirela Hotel, a partir das 9h30. Os participantes terão a oportunidade de assistir à palestra do Doutor Cesar Nunes, professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), com ampla experiência na educação básica e na gestão em escolas.

 

Qualificação

O programa “Gestores Escolares em Movimento” nasceu da identificação de uma demanda dos diretores escolares e compõe uma das metas do ADE. Trata-se de encontros periódicos para proporcionar estudos, diálogos e trocas de experiências, além de fortalecer o trabalho de gestão de cada coordenador e diretor. “Será uma oportunidade ímpar para troca de experiências, reflexão, colaboração e integração do trabalho coletivo do ADE em nosso território. ”, destaca Antão Antonio David, assessor em assuntos educacionais da Associação Granfpolis.

A programação é 100% gratuita: “O único custo para os municípios é o de deslocamento dos profissionais para os polos, que serão determinados levando em conta as demandas a serem atendidas em cada microrregião”, explica Mário Fernandes, Secretário de Educação de Águas Mornas e um dos líderes do ADE/Granfpolis. Ele reforça que “um programa como esse, que marca a qualificação administrativa e pedagógica dos gestores das escolas, é fundamento de suma importância para a qualidade de ensino oferecida às nossas crianças”.

As atividades serão desenvolvidas tanto por meio de encontros presenciais, como a distância. Os temas a serem trabalhados em cada módulo respondem às demandas do dia a dia dos gestores e foram alicerçados nos Indicadores da Qualidade na Educação, propostos pelo INEP: Ambiente Educativo; Prática Pedagógica; Avaliação; Gestão Escolar Democrática; Formação e Condições de Trabalho dos Profissionais da Escola; Ambiente Físico Escolar; e Acesso, Permanência e Sucesso na Escola. “O programa vai promover mais integração da escola com o território no qual está inserida, visando maior participação de todos”, afirma Adriana Heiderscheidt dos Santos, diretora da Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental Monsenhor José Locks, no município de Major Gercino.

 

Parceria

O evento também celebra a parceria do ADE Granfpolis com o Movimento Santa Catarina pela Educação, que apoiará um dos módulos previstos para o primeiro semestre de 2019. O programa terá um total de 7 módulos, e 2 deles acontecem ainda este ano. Para Tito Alfredo Schmitt, vice-presidente regional Sudeste da FIESC e presidente da Câmara Regional do Movimento Santa Catarina pela Educação, “o dirigente pode e deve atuar para que o espaço da escola seja saudável e estimulante e, por isso, seu aperfeiçoamento é tão importante”.

 

Arranjos de Desenvolvimento da Educação

A constituição de 1988 apontou que a responsabilidade pela garantia da oferta de vagas desde a Educação Infantil até o término do Ensino Fundamental cabe prioritariamente aos municípios. Logo, o avanço da qualidade e dos resultados da educação pública depende, e muito, do sucesso da gestão municipal.

Para a diretora do Instituto Positivo, Eliziane Gorniak, é preciso considerar o contexto dos municípios brasileiros para compreender melhor o tamanho dos desafios no campo da educação: “70% das cidades são consideradas pelo IBGE como de pequeno e de médio porte, ou seja, com menos de 23 mil habitantes. Muitas delas comprometem grande parte do orçamento da educação com as despesas da folha de pagamento, sobrando poucos recursos para outros investimentos que são igualmente necessários, como por exemplo, a formação continuada de professores, melhoria de estrutura física, realização de eventos pedagógicos, aquisição de materiais, etc. Aliado a isso, a descontinuidade das políticas educacionais, em função da troca constante dos secretários de educação, pode comprometer a motivação dos profissionais e a progressividade das iniciativas. Quando se analisa esse cenário, nos perguntamos: haveria alguma maneira de superar esses obstáculos para viabilizar saltos de qualidade na educação pública?”, questiona Eliziane.

Em algumas regiões brasileiras, prefeituras, escolas e educadores parecem ter encontrado um caminho: atuar em regime de colaboração por meio da implantação de Arranjos de Desenvolvimento da Educação – ADE. Os arranjos são um modelo de trabalho em rede, no qual um grupo de municípios com proximidade geográfica e características sociais e educacionais semelhantes buscam trocar experiências, planejar e trabalhar em conjunto – e não mais isoladamente, somando esforços, recursos e competências para solucionar conjuntamente as dificuldades na área da educação. A proposta dos Arranjos foi homologada pelo MEC em 2011, e incluída como uma opção para o alcance das metas e das estratégias previstas no Plano Nacional de Educação, aprovado em 2014 (artigo 7º, parágrafo 7º).

O Brasil possui hoje 11 ADEs, com cerca de 187 municípios trabalhando nesse modelo de colaboração, e alguns já conquistaram avanços consistentes que indicam que estão no caminho certo. Outras regiões vêm se manifestando interessadas: interior de São Paulo, litoral da Bahia, Santa Catarina e Pará. Dedicado a estudar e a difundir a metodologia dos ADEs no Brasil, o Instituto Positivo é parceiro da Associação dos Municípios da Região da Grande Florianópolis (GRANFPOLIS), em Santa Catarina. Com a Granfpolis, em uma articulação pioneira, lançaram em 2015 o primeiro ADE do Sul do País.

Atualmente, os 21 secretários de educação da região e as suas equipes trabalham de forma conjunta, a fim de alcançar as 4 metas territoriais, definidas em comum acordo e que visam melhorar a qualidade do ensino no território. No ano de fundação do ADE, 16% dos alunos das redes municipais estavam em situação de distorção idade/ano escolar. Portanto, a plena alfabetização, a redução da evasão e da reprovação escolar foram consideradas metas prioritárias. Em 2017, após uma parceria com o Instituto Ayrton Senna, 1.200 alunos, de 14 dos municípios, receberam atenção especial e participaram tanto de programas de melhoria da alfabetização quanto de aceleração da aprendizagem. Ao final do ano, 92% dos alunos que participaram dos programas de alfabetização foram plenamente alfabetizados. E, 100% dos alunos que participaram das ações de correção de fluxo, foram aprovados para progredir em pelo menos um ano escolar. “Com a dedicação dos professores, apoiados pelas metodologias implantadas, as crianças que antes não conseguiam decifrar as palavras, hoje já estão lendo um livro”, comemora Eliziane.

Os municípios participantes do Arranjo se reúnem mensalmente para avaliar as metas e deliberar novas ações, tendo como prioridade a melhoria da qualidade da educação ofertada aos alunos. Em 2018, a quarta meta, que abrange questões relacionadas à gestão do sistema de ensino e das escolas, começa a ser implantada. Entre as prioridades está o lançamento do programa “Gestores Escolares em Movimento”.

 

Serviço

O quê: lançamento do programa “Gestores Escolares em Movimento”

Quando: 10/09/2018

Horário: das 9h30 às 12h

Local: Hotel Cambirela: Av. Marinheiro Max Schramm, 2199 – sala Pocema

 

Sobre o Instituto Positivo

O Instituto Positivo (IP) foi criado em 2012 para fazer a gestão do investimento social de todo o Grupo Positivo em favor da comunidade. A missão do Instituto Positivo é contribuir para a melhoria da qualidade da Educação Pública brasileira por meio do incentivo ao Regime de Colaboração, modelo estratégico de cooperação entre os estados, municípios e união que estimula o trabalho em rede e a troca de experiências. Para tornar isso possível, o IP incentiva a implantação de Arranjos de Desenvolvimento da Educação (ADE), metodologia homologada pelo MEC que favorece o trabalho colaborativo entre Secretarias de Educação de municípios próximos geograficamente. A partir do apoio mútuo e de metas comuns espera-se que sejam potencializados os aprendizados, as parcerias e as ações para a melhoria dos indicadores da Educação. Para ter mais informações, acesse o site do Instituto Positivo: instituto.positivo.com.br.

 

Sobre a Granfpolis

A Associação dos Municípios da Região da Grande Florianópolis – Granfpolis, foi fundada em 1969, visando promover o desenvolvimento integrado da Região. Atualmente, 22 municípios fazem parte da Associação (Águas Mornas, Alfredo Wagner, Angelina, Anitápolis, Antônio Carlos, Biguaçu, Canelinha, Florianópolis, Garopaba, Governador Celso Ramos, Leoberto Leal, Major Gercino, Nova Trento, Palhoça, Paulo Lopes, Rancho Queimado, Santo Amaro da Imperatriz, São Bonifácio, São João Batista, São José, São Pedro de Alcântara e Tijucas). Para mais informações, acesse o site da Associação: granfpolis.org.br.

 

Sobre o Movimento Santa Catarina pela Educação

O Movimento Santa Catarina pela Educação, liderado pela Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina – FIESC, visa mobilizar, articular e influenciar os setores econômicos e o poder público para melhorar a educação quanto à escolaridade, qualificação profissional e qualidade do ensino. Reúne representantes dos setores econômicos, dos sindicatos patronais e laborais, dos setores educacionais, da sociedade civil e do poder público, comprometidos com a causa de contribuir para Santa Catarina se manter na rota da inovação e do desenvolvimento social e econômico por meio da Educação. Para saber mais, acesse o site do Movimento: santacatarinapelaeducacao.com.br

Todas as notícias