+55 41 3026.2610

Notícias Central Press

Volta às aulas: é preciso estar preparado física e psicologicamente para o retorno

Postado no dia: 25 de janeiro de 2018
Volta às aulas: é preciso estar preparado física e psicologicamente para o retorno
  1. (Divulgação)
  2. (Divulgação)

Especialistas alertam que os alunos devem retomar a rotina do período escolar pelo menos uma semana antes do reinício das aulas para evitar mudanças bruscas

 

Depois de um longo período de férias, o reinício das aulas costuma trazer, para pais e alunos, ansiedade e agitação – seja por conta da perspectiva de conhecer novos professores, amigos e até uma nova escola ou porque o fim do descanso está próximo. Sem precisar acordar cedo nem fazer lição de casa, o estudante, durante as férias, entra num outro ritmo e, à medida que o retorno à escola se aproxima, é preciso restabelecer a antiga rotina para que ele esteja, de fato, preparado para o reinício das atividades escolares. A diretora pedagógica da Editora Positivo, Acedriana Sandi, afirma que é preciso atenção a esse período pré volta às aulas. “Muitos pais acabam subestimando essa transição das férias para o retorno à escola, mas os primeiros dias de aula são muito importantes para que os alunos se situem dentro dessa nova realidade e encarem, sem resistências, essa nova etapa. E isso só acontece quando estão física e psicologicamente preparados para tal”, explica Acedriana.

Segundo a diretora, mesmo quando o estudante retorna para a antiga escola, sempre existem novidades. É preciso atenção e cuidado para envolver a criança ou adolescente nessa fase de preparativos. “Leve o filho junto para escolher o material escolar, peça que ele ajude a organizar todo os itens. Se ele estiver mudando de escola, é importante, antes das aulas começarem, levá-lo para conhecer o novo ambiente e começar, aos poucos, a inserir conversas que o estimulem a pensar sobre o que irá encontrar e quais experiências irá viver neste novo espaço”, completa Acedriana.

Para o diretor do Colégio Positivo, Celso Hartmann, uma maneira eficaz de fazer o estudante encarar com entusiasmo o retorno às aulas é fazê-lo se lembrar de tudo o que a escola tem de bom. “Os pais devem falar dos colegas, dos antigos professores e destacar bons momentos vividos em sala de aula. Mostre a importância da escola, que estudar pode ser divertido e muito interessante. Dessa forma, ele terá vontade de voltar às aulas”, reforça Celso. Para ele, a parceria entre pais e escola – desde o início do ano – também é fundamental. “Quando os pais participam ativamente da vida escolar dos filhos, os alunos se sentem mais apoiados e estimulados e se dedicam mais. Os pais devem se lembrar disso desde já e não apenas no fim do ano”, afirma.

Retorno gradual

Mudanças bruscas são difíceis de serem absorvidas e podem comprometer o retorno às atividades escolares. Segundo o professor de Neuropediatria da Universidade Positivo, Antonio Carlos de Farias, os pais devem cuidar para, uma semana antes do reinício das aulas, restabelecer os horários para acordar, se alimentar e dormir. “O ritmo biológico do ser humano leva de 3 a 5 dias para se readaptar. Durante as férias, os hábitos, horários e atividades dos estudantes variam muito. É preciso voltar tudo no lugar para que o organismo se readapte como um todo. E é importante que isso seja feito antecipadamente para evitar desgastes desnecessários”, alerta Farias.

O professor reforça que “a demanda de sono de uma criança, dependendo da faixa etária, ainda é muito grande, assim como a dos adolescentes, que estão numa fase de pico de desenvolvimento e ritmo energético. Isso tudo deve ser considerado a fim de evitar mudanças de comportamento, irritabilidade, sonolência e até alterações somáticas, como dor de cabeça.” Portanto, se o estudante dormiu muito durante as férias ou ficou muito tempo na frente da televisão, é importante começar a rever, aos poucos, essa rotina desde já. “Dessa maneira, ele sentirá menos e não vai achar que parou de se divertir, de uma hora para outra, apenas porque as aulas recomeçaram”, reforça Farias.

Sobre a Editora Positivo

Fundada há 37 anos, a Editora Positivo tem a missão de construir um mundo melhor por meio da educação. Tendo as boas práticas de ensino como seu DNA, a Editora especializou-se ao longo dos anos e tornou-se referência no segmento educacional, desenvolvendo livros didáticos, literatura infantil e juvenil, sistemas de ensino e dicionários. A Editora Positivo está presente em milhares de escolas públicas e particulares com os seus sistemas de ensino. Amplamente recomendados pela área pedagógica e reconhecidos pelos seus resultados, os sistemas foram criados de modo a atender a realidade de cada unidade escolar. Para a rede pública a editora disponibiliza o Sistema de Ensino Aprende Brasil. Já as escolas particulares contam com o Sistema Positivo de Ensino. Mais de 800 mil alunos utilizam os sistemas de ensino da Editora Positivo, em escolas públicas e particulares, no Brasil e no Japão.

Sobre o Colégio Positivo

O Colégio Positivo compreende cinco unidades na cidade de Curitiba, nas quais nasceu e se desenvolveu o modelo de ensino levado a todo o país e ao exterior. O Colégio Positivo Júnior, o Colégio Positivo – Jardim Ambiental, o Colégio Positivo –  Ângelo Sampaio, o Colégio Positivo Hauer e o Colégio Positivo Internacional atendem alunos da Educação Infantil ao Ensino Médio, sempre combinando tecnologia aplicada à educação, material didático atualizado e professores qualificados, com o compromisso de formar cidadãos conscientes e solidários. Os alunos têm à sua disposição atividades complementares esportivas e culturais, incentivo ao empreendedorismo e aulas de Língua Inglesa diferenciadas, além de aprendizado internacional na unidade que leva essa proposta em seu nome. Em 2016, foram incorporadas ao Grupo duas novas unidades do Colégio Positivo Joinville, em Santa Catarina e, em 2017, a unidade do Colégio Positivo – Santa Maria, em Londrina (PR).

Todas as notícias