Artigo: Se o melhor é possível, o bom não é suficiente

[flgallery id=306 /]

Por Giba Lavras, ex-integrante da Seleção Paulista e Brasileira de Handebol, ministra a palestra “Educar é Conviver” e dá aulas no Curso Positivo há vinte anos

A educação é, atualmente, o principal fator migratório dos jovens do interior para as capitais. Isso acontece geralmente entre os 15 e 18 anos, quando os estudantes estão se aproximando do vestibular e visam estudar em uma boa universidade. Muitos alunos deixam as famílias e migram sozinhos, começando uma nova vida independente e cheia de decisões para tomar. É um grande marco de transformação da adolescência para a fase adulta.
O estudante que estava acostumado com sua terra natal, uma pequena cidade, com o conforto de casa, o auxílio dos pais, a presença dos amigos de infância e de vizinhos que acompanharam seu crescimento, sai da zona de conforto e se depara com um mundo completamente novo, cheio de desconhecidos, com desafios enormes e a necessidade clara de assumir responsabilidade. Esse fenômeno de migração estudantil faz com que as salas de aula dos cursos pré-vestibulares das capitais tenham, cada vez mais, uma mistura de alunos oriundos de diversos lugares do país e que precisam aprender a conviver com pessoas de diferentes culturas – o que gera um ganho de maturidade muito positivo pois, assim como na natureza prevalece a biodiversidade, a heterogeneidade das pessoas é fundamental para o desenvolvimento individual.
Na sala de aula, muitas vezes, o aluno tem receio de falar, por ter sotaque ou por medo de estar fazendo uma pergunta não pertinente – tipo de pergunta que não existe, uma vez que todo questionamento favorece o conhecimento. O professor deve estar preparado para receber essa turma tão diversificada e ajudar – principalmente esses alunos tímidos – a não terem vergonha de sua origem. Para me auxiliar nessa tarefa, criei o Anta, um personagem que faz as perguntas que os estudantes teriam medo de expor e cria diálogos que causam reações positivas nos alunos, como fazer amizades e respeitar o próximo.
O contato com a família também é imprescindível, pois ela sempre vai torcer pelo estudante e tentar ajudá-lo. Mas, é preciso tomar cuidado para que esse apoio não torne-se uma pressão a mais para o vestibulando. Muitas vezes, os pais acham que estão ajudando, contando para o filho que se privaram de algo ou se submeteram a alguma situação difícil para que ele estudasse, e acabam colocando um fardo a mais no estudante. Outra situação recorrente é a surpresa dos pais ao descobrirem que o rendimento do filho não está sendo o esperado. Exemplificando, o adolescente era um ótimo aluno em sua escola, na cidade em que morava, mas quando enfrenta a competição de centenas de outros estudantes com o mesmo objetivo – passar no vestibular -, acaba se saindo mal, gerando uma decepção para ele mesmo e para a família. A família precisa entender que o ambiente mudou e o estudante ainda precisa se adaptar com sua nova realidade. Então, é importante que os pais não se decepcionem com os resultados iniciais. Não devemos deixar que o sentimento de nossas fraquezas nos faça perder a certeza das nossas forças.
Sabendo que vocação é a felicidade de exercer o ofício da paixão; siga seus sonhos, lute por suas metas e dê sempre o seu melhor. Se o melhor é possível, o bom não é suficiente.

Share:

Latest posts

Aposentada Anete Langaro retomou atividades dias após realizar artroplastia total de joelho Créditos: Arquivo pessoal
Técnicas avançadas favorecem cirurgias menos invasivas em idosos
Tatielle Alyne, atleta de futebol feminino de 19 anos, tem difícil missão de lidar com uma lesão enquanto corre atrás de seus sonhos no esporte Créditos: Arquivo pessoal
Mulheres enfrentam maior risco de lesões em joelhos na prática de esporte
Espaços para prática da fé em hospitais são demonstração de respeito às necessidades de pacientes e familiares Créditos: Divulgação
Espaços para prática da fé e espiritualidade são aliados no tratamento e internações médicas

Sign up for our newsletter

Acompanhe nossas redes

related articles

Aposentada Anete Langaro retomou atividades dias após realizar artroplastia total de joelho Créditos: Arquivo pessoal
Técnicas avançadas favorecem cirurgias menos invasivas em idosos
Hospitais registram crescimento superior a 40% em procedimentos para pacientes acima de 70 anos; avanços...
Saiba mais >
Tatielle Alyne, atleta de futebol feminino de 19 anos, tem difícil missão de lidar com uma lesão enquanto corre atrás de seus sonhos no esporte Créditos: Arquivo pessoal
Mulheres enfrentam maior risco de lesões em joelhos na prática de esporte
Estudos indicam que chance é até oito vezes maior entre as jogadoras e o futebol é campeão nesse tipo...
Saiba mais >
Espaços para prática da fé em hospitais são demonstração de respeito às necessidades de pacientes e familiares Créditos: Divulgação
Espaços para prática da fé e espiritualidade são aliados no tratamento e internações médicas
Acolhimento se estende a pacientes, familiares e profissionais da saúde, com iniciativas perto de centros...
Saiba mais >
Grupo Marista
Presidente do Grupo Marista é nomeado chefe provincial da Província Marista do Brasil Centro-Sul
Nesta segunda-feira (25/03), o Irmão Vanderlei Siqueira dos Santos foi nomeado Superior Provincial da...
Saiba mais >