Biotecnologia elimina até 98% dos mosquitos da Dengue

Projeto piloto de empresa britânica libera mosquitos que não picam e interferem na reprodução da espécie. Liberação de mosquitos transgênicos está prevista para os próximos dias, em Indaiatuba (SP)

[flgallery id=2541 /]

Com um aumento de 599,5% no número de casos de Dengue em relação ao ano passado, o Ministério da Saúde decidiu iniciar a campanha de combate à doença mais cedo, este ano. São R$ 12 milhões dedicados à comunicação e R$ 1,8 bilhão em programas de vigilância em saúde. Mas o governo não consegue reduzir os índices sem a ajuda da população, que tem que se conscientizar e eliminar a água parada para impedir a reprodução dos mosquitos.

Mas a tecnologia já encontrou outra forma de eliminar os mosquitos transmissores. Uma empresa britânica, desenvolvida na Universidade de Oxford, chamada Oxitec, produz mosquitos transgênicos, chamados Aedes do Bem™, que não picam e interferem na reprodução do Aedes aegypti. O primeiro teste, realizado na cidade baiana de Jacobina, em 2013, resultou em uma redução de 94% na população de mosquitos, durante o experimento. 

Já no programa de Piracicaba (SP), que começou em um único bairro de 5 mil habitantes em 2015, se expandiu em 2016 para incluir 11 bairros adicionais na região central da cidade, que abrigam outros 60 mil cidadãos de Piracicaba. Em toda a área tratada, a população de mosquitos selvagens foi reduzida em até 98% a cada ano, com uma redução média de 92% ao longo de quatro anos. Nos bairros onde o Aedes do Bem™ foi liberado, a cidade relatou uma redução significativa nos casos da doença quando comparados ao restante do município: o Serviço de Vigilância Epidemiológica da cidade registrou apenas 12 casos de dengue no período de um ano na temporada 2015-2016, contra 133 no ano anterior.

No ano passado, a Oxitec iniciou a liberação dos mosquitos geneticamente modificados da linhagem OX5034 em quatro áreas do município de Indaiatuba, que fica na Região Metropolitana de Campinas, interior de São Paulo. A soltura de insetos da nova linhagem do Aedes do Bem™ em Indaiatuba é parte de uma LPMA (Liberação Planejada no Meio Ambiente) aprovada pela Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) – órgão responsável pela regulamentação de OGMs (Organismos Geneticamente Modificados) no Brasil – em agosto de 2017. O uso da tecnologia está de acordo com normas para proteção da saúde humana, da saúde animal e do meio ambiente.

Embora semelhante ao mosquito da primeira geração, a partir do trabalho extensivo em testes em ambientes fechados, essa segunda geração deve suprimir o mosquito transmissor da dengue com menos liberações. Além disso, a nova linhagem oferece vantagens operacionais significativas e economia de custos, o que deverá simplificar o processo de produção. A primeira fase do projeto resultou em até 96% de supressão de mosquitos selvagens Aedes aegypti em comunidades tratadas em comparação com áreas não tratadas. Sendo assim, o município paulista assinou um um novo acordo de colaboração com a Oxitec para continuar com o desenvolvimento do projeto de liberação da 2ª Geração de mosquitos Aedes do Bem™. A Oxitec do Brasil e a Prefeitura de Indaiatuba estão iniciando agora a segunda fase desse projeto para demonstrar a efetividade e avaliar novos métodos de liberação do mesmo Aedes do Bem™.

Desta vez, a liberação dos mosquitos machos, que não picam, será feita por meio da instalação de pequenas caixas de papelão simples contendo ovos e água que serão instaladas nos bairros. Desta caixa, nascerão apenas os mosquitos machos Aedes do Bem™. A instalação dessas caixas começará em meados de outubro. Para que o teste funcione de acordo com o planejado, é importante que os moradores não mexam nas caixas – assim o mosquito poderá emergir e ajudar no combate.

Antes de iniciar a segunda fase deste projeto, a equipe está fazendo o monitoramento da abundância da população de Aedes aegypti em 12 bairros da cidade, que possivelmente hospedarão as liberações dos mosquitos da Oxitec. O objetivo é implementar um sistema de vigilância preciso para avaliar a infestação dos mosquitos selvagens e o desempenho das liberações do Aedes do bem™. O monitoramento é realizado semanalmente, e para isso será utilizado um recipiente cheio de água conhecido como ovitrampa, que atraem mosquitos fêmeas para realizarem a oviposição; esses ovos serão levados para o laboratório para contagem, posteriormente, usados para avaliar a população de mosquitos.

A secretária de Saúde de Indaiatuba, Graziela Garcia, destaca que os moradores devem continuar fazendo sua parte para evitar a proliferação do mosquito. “Após o sucesso do primeiro piloto com o Aedes do Bem™ da Oxitec, estamos ansiosos para explorar os benefícios que a tecnologia poderá oferecer à nossa cidade e a outras comunidades afetadas pelo mosquito. O trabalho de monitoramento e, posteriormente, os estudos com a caixa de liberação de mosquitos, serão conduzidos pela empresa em áreas específicas. Desta forma, é importante lembrar que os agentes de controle da dengue continuarão desenvolvendo as atividades para evitar a multiplicação do Aedes, especialmente neste período mais quente e chuvoso, que é quando ele se reproduz. Continuamos contando com a ajuda da população de Indaiatuba para isso”, diz Graziela.

A 2ª geração de Aedes do bem™ da Oxitec, contempla a liberação de mosquitos machos seguros e que não picam. Estes machos irão procurar por fêmeas selvagens em áreas de difícil acesso aos métodos de controle convencionais. Após o acasalamento, os descendentes fêmeas morrem, enquanto a prole macho sobrevive e continua a acasalar e reduzir ainda mais a população de mosquitos. Mais fracos que os outros mosquitos, a cada geração sucessiva, o número de machos da Oxitec diminui, até que finalmente desapareçam do meio ambiente. Após o término das liberações, a Oxitec continuará monitorando o Aedes do Bem™ até que não seja encontrada mais nenhuma evidência no ambiente.

“Embora a Oxitec esteja financiando integralmente este projeto, essa é uma verdadeira parceria. Essa colaboração é um excelente modelo de liderança inovadora necessária para avaliar novas ferramentas para combater o mosquito transmissor da dengue. Não podíamos pedir colaboradores mais engajados em um momento tão importante”, afirmou Garcia.

O projeto-piloto foi revisado e aprovado pela CTNBio – a autoridade brasileira reguladora de Biossegurança – que concluiu que o Aedes do Bem™ é seguro e não representa riscos para humanos, animais ou o meio ambiente. A aplicação da tecnologia não impede o uso de ferramentas convencionais de controle vetorial já implantadas pela prefeitura, que continuará a campanha para eliminar os pontos de água parada onde o Aedes aegypti se reproduz. O objetivo é que o novo mosquito Aedes do Bem™ seja avaliado como uma estratégia adicional no combate ao mosquito transmissor da Dengue, Zika, Febre Amarela e Chikungunya.

A técnica requer uma liberação contínua nas áreas tratadas. Os mosquitos transgênicos desaparecem do ambiente algumas semanas após a interrupção das liberações. “Funciona como um inseticida biológico: enquanto você aplica, vê o efeito. Se parar de usar, os mosquitos voltam”, afirma a diretora geral da Oxitec Brasil, Natalia Verza Ferreira, PhD em Genética e Biologia Molecular. Além disso, o efeito de supressão populacional não é imediato: é preciso liberar continuamente por aproximadamente um ano para que se possa começar a controlar a população. 

Sobre a Oxitec

A Oxitec é pioneira no uso de engenharia genética para controle de vetores e pragas que disseminam doenças e destroem culturas. Foi fundada em 2002 como uma “spinout” da Universidade de Oxford (Inglaterra). A Oxitec é uma subsidiária da Intrexon Corporation (NYSE: XON), empresa que utiliza biologia para ajudar a resolver alguns dos maiores problemas mundiais.

Share:

Latest posts

mustang2 (1)
Ford Slaviero realiza evento em comemoração aos 60 anos do lendário Mustang
CIEE-por-GusBenke-50
De Libras à logística: cursos gratuitos são oportunidade de capacitação com certificado
3903C-20230302-0048 (1)
Vero Vittá: inspiração para viver com qualidade e exclusividade no alto da Gleba Palhano

Sign up for our newsletter

Acompanhe nossas redes

related articles

mustang2 (1)
Ford Slaviero realiza evento em comemoração aos 60 anos do lendário Mustang
22.° edição do evento reúne fãs do modelo em Curitiba Realizado na concessionária Ford Slaviero, uma...
Saiba mais >
CIEE-por-GusBenke-50
De Libras à logística: cursos gratuitos são oportunidade de capacitação com certificado
CIEE/PR oferece 22 opções presenciais em Curitiba para pessoas a partir de 14 anos; formação em Libras...
Saiba mais >
3903C-20230302-0048 (1)
Vero Vittá: inspiração para viver com qualidade e exclusividade no alto da Gleba Palhano
Lançamento de alto padrão da A.Yoshii traz espaços de lazer diferenciados e localização privilegiada...
Saiba mais >
FOTO-HARROCK-JE-2 (1)
Hard Rock Cafe Curitiba anuncia novidades no cardápio de almoço
Lunch menu tem novos preços e opções para quem busca pratos executivos com um toque de Rock’n Roll Conhecido...
Saiba mais >