Espaços para prática da fé e espiritualidade são aliados no tratamento e internações médicas

Acolhimento se estende a pacientes, familiares e profissionais da saúde, com iniciativas perto de centros cirúrgicos e UTIs, enfatizando o cuidado integral do paciente

A rotina começa às 4 horas da manhã, quando um profissional de enfermagem entra para a primeira dose de medicação. Ao longo do dia, são pelo menos oito visitas das equipes de saúde para ministrar medicamentos. Uma vez ao dia, o médico vai ao quarto para avaliação das condições do paciente, conversar sobre os sintomas e orientar sobre procedimentos futuros. Esse tem sido o dia a dia do aposentado Rafael Antonio Garaffa, internado há mais de 80 dias no Hospital São Marcelino Champagnat, em Curitiba (PR).

Rafael foi internado no hospital devido a uma trombose no braço. Tratou da condição e se submeteu a uma nova cirurgia de gastroplastia, ou redução de estômago. Sua primeira operação ocorreu em 2011, em um hospital de Santa Catarina. Complicações subsequentes levaram a dificuldades para se alimentar, digerir e a episódios de hipoglicemia. Desde então, passou por mais quatro procedimentos cirúrgicos. 

Internado desde o início de dezembro de 2023, Rafael não apenas segue os cuidados médicos, mas também estabeleceu práticas para reforçar sua fé. “De segunda a quinta-feira, às 3h da tarde, participo do terço da misericórdia, na capela do hospital. Na sexta, assisto à missa, e nos fins de semana, gosto de ir à capela para rezar. Além disso, como sou católico, recebo a comunhão no meu quarto, de segunda a sexta-feira. A equipe da Pastoral que trabalha aqui vem distribuir o corpo de Cristo para todos os que pedem”, relata o paciente.

Para ele, o suporte espiritual é essencial para enfrentar o tratamento e os quase três meses de internação. “Ter fé nos dá coragem e força para enfrentar os desafios e adversidades da doença. Não é fácil ficar numa internação mais comprida, mas se a gente põe um sentido e se esse sentido é a fé, isso nos conforta, independentemente da religião ou crença”, reflete Rafael.

Medicina e espiritualidade 

Estudos demonstram os benefícios da espiritualidade e da fé em momentos de dificuldade de saúde. O médico Ronnie Ykeda, coordenador da Comissão de Cuidados Paliativos no Hospital Universitário Cajuru, atende pacientes com condições crônicas ou graves. Ele acredita que a fé é um diferencial. “A doença grave, por sua característica de ameaça à vida, é capaz de despertar no indivíduo uma espécie de ‘meditação sobre a realidade’, relembrando para nossa consciência uma característica fundamental do viver: a sua fragilidade. Tal situação pode desencadear no ser humano uma reflexão profunda sobre aquelas perguntas fundamentais: ‘de onde viemos?, ’para aonde vamos?’, e ‘qual o propósito da minha vida?’. Essa capacidade de reflexão, ou espiritualidade, é crucial durante o adoecimento, oferecendo conforto e podendo até influenciar positivamente o tratamento”, explica.

Por serem hospitais do Grupo Marista, o São Marcelino Champagnat e o Universitário Cajuru contam com atuação da Pastoral, trazendo a missão da Igreja à comunidade. Segundo a analista sênior do setor, Telma Rodrigues, o acolhimento é essencial para todos no ambiente hospitalar. “Paciente, familiares e profissionais de saúde buscam algo que possa nutrir sua espiritualidade e muitas vezes encontram na fé a solução para suas inquietações. Portanto, espaços dedicados à prática espiritual são muito importantes não só para o suporte emocional, mas também para proporcionar um momento de descanso mental, alívio do estresse e fortalecimento da fé.” 

Nova capela

Em fevereiro, o Hospital São Marcelino Champagnat inaugurou uma nova capela, ao lado do Centro Cirúrgico, localizado no 5.° andar. Este espaço, dedicado à oração e ao acolhimento, foi estrategicamente posicionado para que familiares e acompanhantes permaneçam próximos aos pacientes durante os procedimentos cirúrgicos. 

A pintura da capela foi realizada pelo monge beneditino Dom Roberval Monteiro, artista plástico especializado em arte sacra contemporânea. Natural do Paraná e atualmente residente na Itália, ele retornou ao Brasil especialmente para este projeto. “Concebemos a capela como um lugar de contemplação. Pensamos no projeto como uma Sarça Ardente, descrita no livro do Êxodo, onde Moisés, após fugir do Egito, se depara com um arbusto em chamas que, surpreendentemente, permanece verde. Ele se aproxima e ouve palavras que estão escondidas aqui na pintura. Então esse é um pouco do contexto de deserto, mas não só o deserto físico, mas o deserto espiritual, o deserto humano que a gente experimenta na doença. Você pode ser a pessoa mais rica do mundo, mas diante da doença você se encontra no deserto porque o dinheiro não compra a vida. Por isso, a pintura da capela representa Deus no sofrimento do seu povo. É como se Ele estivesse dizendo ‘eu sei o que você está passando e eu estou presente’”, detalha Dom Roberval.

Para o coordenador da Comissão de Cuidados Paliativos, os espaços para a prática da fé nos hospitais são uma demonstração de respeito às necessidades de pacientes e familiares. “É fundamental a existência desses locais com a função de tirar o enfoque puramente biológico que os hospitais e a medicina dão ao ser humano e introduzir um enfoque espiritual/religioso, ou seja, a oportunidade de conexão do indivíduo com o divino ou com aquilo que dá sentido à sua vida. Isso demonstra o compromisso da administração hospitalar com um atendimento integral, ressaltando o respeito pelo bem-estar dos pacientes e de seus familiares. Garantir o exercício da espiritualidade, mais precisamente, da religiosidade, pode aliviar ansiedade, depressão, dor e outros sintomas. Além disso, no cenário de fim de vida, a prática espiritual pode evitar medidas artificiais agressivas, que apenas prolongam o sofrimento sem qualidade de vida, auxiliando, portanto, na construção de um plano de cuidado individualizado para cada paciente”, pontua Ronnie.

Atualmente, o Hospital São Marcelino Champagnat conta com duas capelas: a recém- inaugurada, ao lado do Centro Cirúrgico, e a que fica no térreo, ao lado da recepção. No Hospital Universitário Cajuru, a capela está localizada no térreo, próximo aos leitos de internação de pacientes.

Sobre o Hospital São Marcelino Champagnat

O Hospital São Marcelino Champagnat faz parte do Grupo Marista e nasceu com o compromisso de atender seus pacientes de forma completa e com princípios médicos de qualidade e segurança. É referência em procedimentos cirúrgicos de média e alta complexidade. Nas especialidades destacam-se: cardiologia, neurocirurgia, ortopedia e cirurgia geral e bariátrica, além de serviços diferenciados de check-up. Planejado para atender a todos os quesitos internacionais de qualidade assistencial, é o único do Paraná certificado pela Joint Commission International (JCI).

Sobre o Hospital Universitário Cajuru

O Hospital Universitário Cajuru é uma instituição filantrópica com atendimento 100% SUS e com a certificação de qualidade da Organização Nacional de Acreditação (ONA) nível 1. Está orientado pelos princípios éticos, cristãos e valores do Grupo Marista. Vinculado às escolas de Medicina e Ciências da Vida da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), preza pelo atendimento humanizado, com destaque para procedimentos cirúrgicos, transplante renal, urgência, emergência, traumas e atendimento de retaguarda a Pronto Atendimentos e UPAs de Curitiba e cidades da Região Metropolitana.

Share:

Latest posts

AYOSHII - SOLAIA - -Foto-Gerson-Lima-146
A.Yoshii premia imobiliárias parceiras pelo sucesso de vendas em Curitiba do novo empreendimento Solaia Garden
Foto: divulgação
Pesquisa revela impacto das redes sociais no desempenho escolar e no sono dos estudantes
Paulistão Feminino ganha em 2024 o sobrenome e apoio do Sicredi, mais longevo patrocinador da Federação Paulista de Futebol Créditos: Divulgação
Feito histórico: Paulistão Feminino ganha naming rights do Sicredi e tem premiação recorde em 2024

Sign up for our newsletter

Acompanhe nossas redes

related articles

AYOSHII - SOLAIA - -Foto-Gerson-Lima-146
A.Yoshii premia imobiliárias parceiras pelo sucesso de vendas em Curitiba do novo empreendimento Solaia Garden
Imóveis de Primeira e Invictta Imóveis Especiais foram as vencedoras da noite A construtora A.Yoshii,...
Saiba mais >
Foto: divulgação
Pesquisa revela impacto das redes sociais no desempenho escolar e no sono dos estudantes
Estudo elaborado por aluno do Ensino Médio e UFPR ouviu cerca de mil alunos Uma pesquisa iniciada como...
Saiba mais >
Paulistão Feminino ganha em 2024 o sobrenome e apoio do Sicredi, mais longevo patrocinador da Federação Paulista de Futebol Créditos: Divulgação
Feito histórico: Paulistão Feminino ganha naming rights do Sicredi e tem premiação recorde em 2024
Com patrocínio da instituição financeira cooperativa, campeonato inicia em 21 de maio com onze clubes...
Saiba mais >
Sicredi
Sicredi dobra o valor arrecadado em movimento nacional para o Rio Grande do Sul e inicia nova mobilização
Instituição financeira cooperativa também atua na linha de frente de centros de distribuição de donativos,...
Saiba mais >