Macaco bugio ferido é resgatado e encaminhado para centro de atendimento à fauna silvestre no Paraná

O Instituto Água e Terra (IAT) foi acionado para atender um macaco bugio encontrado machucado em Antonina, no Litoral do Paraná. A espécie está na lista daquelas ameaçadas de extinção. O IAT foi comunicado através do Escritório Regional do Litoral e contou com o apoio de veterinários voluntários.

O macaco apresentava queimaduras nas patas dianteiras e fratura exposta na pata traseira, necessitando de atendimento emergencial e especializado. Após ser resgatado, foi encaminhado pelo Setor de Fauna para a Clínica Veterinária Escola da Universidade Positivo, em Curitiba, onde passou por exame de sangue e radiografia.

O primata apresentava uma ferida em uma das mãos, além de uma fratura de membro pélvico (tíbia). “Foi necessário anestesiá-lo para segurança do animal e das pessoas envolvidas, e instaurado tratamento para dor”, disse André Saldanha, médico veterinário especializado em animais silvestres.

Nesta terça-feira (05), macaco foi transferido ao Centro de Atendimento à Fauna Silvestre (CAFS) de Guarapuava (Centro-Sul), onde passará por cirurgia de reparação da pata lesionada e reabilitação pós-operatório.

O secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo (Sedest), Everton Souza, destaca o papel dos CAFS no atendimento à fauna vitimada. “Os animais vítimas de crimes ambientais ou de acidentes encontram hoje suporte no Estado. As universidades possuem equipe competente e recursos de primeira mão, o que aumenta as chances de poderem voltar ao seu habitat”, disse.

O Paraná possui, atualmente, cinco CAFS instalados em Londrina, Guarapuava, Cascavel, Curitiba e Maringá, além de um Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) em Ponta Grossa. “Essa rede de atendimentos visa sempre a reinserção dos animais na natureza. As estruturas hospitalares e a expertise dos técnicos que essas unidades possuem oferecem um suporte importante ao Estado na manutenção da fauna silvestre”, afirmou a chefe da Divisão de Fauna do IAT, Paula Vidolin.

RESGATE – O pedido de ajuda ao macaco partiu de um morador da comunidade do Rio do Nunes, em Antonina. “De acordo com o relato dele, o animal havia caído ou encostado em um fio de alta-tensão e estava machucado. Quando a equipe do IAT chegou ao local, identificaram que se tratava de um bugio, mas ele estava em uma mangueira, árvore que possui cinco metros de altura, dificultando sua retirada”, contou a chefe do Escritório Regional do IAT no Litoral, Rosângela Frega.

O IAT orienta que sempre que um animal ferido for encontrado é preciso buscar informações junto aos órgãos competentes, como o IAT (escritórios regionais) e a Polícia Ambiental. É fundamental passar o máximo de informações possível para receber a orientação correta de como agir e verificar a necessidade de encaminhar uma equipe de resgate.

Divulgação: Agência Estadual de Notícias

Share:

Latest posts

Large-DSC3539-Edit-1-1
Shopping celebra Dia Mundial do Rock com programação para crianças
Instituto Positivo
Gestores da Educação do litoral paranaense recebem formação
Palladium
Palladium lança campanha de inverno com conchas exclusivas de brinde

Sign up for our newsletter

Acompanhe nossas redes

related articles

Large-DSC3539-Edit-1-1
Shopping celebra Dia Mundial do Rock com programação para crianças
Palladium Curitiba promove diversas atrações musicais ao longo do dia Para comemorar o Dia Mundial...
Saiba mais >
Instituto Positivo
Gestores da Educação do litoral paranaense recebem formação
Projeto reúne coordenadores para melhorar a qualidade educacional No litoral paranaense, a Educação...
Saiba mais >
Palladium
Palladium lança campanha de inverno com conchas exclusivas de brinde
Conjunto de talheres faz parte da campanha colecionável O Palladium Curitiba celebra a chegada do inverno...
Saiba mais >
4031C-20240608-0228-2 - 1-
Zona leste de Londrina ganha novo empreendimento residencial
Sunny Downtown, da Construtora Yticon, conta com duas torres e fica ao lado do Boulevard Shopping A...
Saiba mais >