Ócio ajuda estudantes a ganhar fôlego para semestre seguinte

Depois de um semestre inteiro de aulas híbridas e incertezas sobre o ensino devido à pandemia de covid-19, as férias de julho costumam ser o momento perfeito para descansar e recuperar o fôlego antes da segunda metade do ano letivo. Mas será que crianças e adolescentes estão realmente descansando? Embora seja atrativo aos olhos dos jovens, o uso ostensivo de celulares, videogames e outros recursos digitais pode prejudicar tanto o desenvolvimento quanto às relações sociais.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria, as telas estimulam a produção de dopamina, que causa dependência e leva a transtornos de comportamento e problemas para dormir. Por isso, o uso diário deve ser limitado. Só que, com a pandemia, controlar esse acesso ficou ainda mais difícil para pais e responsáveis porque é por meio do celular, por exemplo, que crianças e adolescentes fazem de tudo, desde conversar com os amigos até participar das avaliações escolares. Daí a necessidade, ainda mais urgente, de proporcionar momentos de desconexão enquanto estão de férias. 

Para a assessora de Educação dos colégios do Grupo Positivo, Giselle Bailo Uflacker, esse é o momento ideal para propor atividades que permitam uma reconexão da criança e do adolescente consigo. “É importante parar e ter um tempo para si. A criança contemporânea geralmente tem muitos compromissos e essa pausa pode ajudá-la a refletir sobre hábitos simples e naturais, até mesmo como a respiração”, explica. Ela lembra que respirar com consciência é um dos exercícios mais simples que existem para tratar questões como a ansiedade, tão comum nos dias atuais.

Estímulo ao ócio é responsabilidade dos adultos

“É preciso incentivar a criança a perceber o ambiente em que está inserida. Em uma praça, um parque ou até mesmo no jardim de casa, observar o céu, a grama, as estrelas ou o movimento das plantas ajuda a suscitar reflexões que são fundamentais para o desenvolvimento humano”, diz Giselle. O conselho se apoia em um número cada vez maior de estudos que apontam: estar conectado o tempo todo é prejudicial para a saúde emocional. Um levantamento publicado no Canadian Journal of Psychiatry acompanhou mais de 3,8 mil voluntários entre 12 e 16 anos ao longo de quatro anos. O resultado mostrou que, quanto mais longo o período de exposição às redes sociais, TV ou computador, maior a incidência de quadros de ansiedade.

Assim como ocorre com grande parte das obrigações de crianças e adolescentes, também o ócio não é natural nessas idades. No que depender deles, qualquer tempo livre será gasto no celular – esse, aliás, é um fenômeno que não se restringe à infância e adolescência, mas acomete também boa parcela dos adultos. O entretenimento fácil oferecido pela internet costuma ser uma tentação. Cabe aos pais, então, conduzir os filhos aos momentos necessários de ócio. “Não é fácil, mas é muito importante estimular que eles se disponham a enfrentar sensações como o tédio, que serve para limpar a mente, relaxar e, de fato, descansar os sentidos”, finaliza.

Sobre o Colégio Positivo

O Colégio Positivo compreende oito unidades na cidade de Curitiba, onde nasceu e desenvolveu o modelo de ensino levado a todo o país e ao exterior. O Colégio Positivo – Júnior, o Colégio Positivo – Jardim Ambiental, o Colégio Positivo – Ângelo Sampaio, o Colégio Positivo – Hauer, o Colégio Positivo – Internacional, o Colégio Positivo – Água Verde, o Colégio Positivo – Boa Vista e o Colégio Positivo – Batel atendem alunos da Educação Infantil ao Ensino Médio, sempre combinando tecnologia aplicada à Educação, material didático atualizado e professores qualificados, com o compromisso de formar cidadãos conscientes e solidários. Em 2016, o grupo chegou em Santa Catarina – onde hoje fica o Colégio Positivo – Joinville e o Colégio Positivo – Joinville Jr. Em 2017, foi incorporado ao grupo o Colégio Positivo – Santa Maria, em Londrina (PR). Em 2018, o Positivo chegou a Ponta Grossa (PR), onde hoje está o Colégio Positivo – Master. Em 2019, somaram-se ao Grupo duas unidades da escola Passo Certo, em Cascavel (PR), e o Colégio Semeador, em Foz do Iguaçu (PR). Com a aquisição do Colégio Vila Olímpia, em Florianópolis (SC), o Colégio Positivo passa a contar com 16 unidades de ensino, em sete cidades, no Sul do Brasil, que atendem, juntas, aproximadamente 15 mil alunos desde a Educação Infantil ao Ensino Pré-Vestibular.

Share:

Latest posts

Large-DSC3539-Edit-1-1
Shopping celebra Dia Mundial do Rock com programação para crianças
Instituto Positivo
Gestores da Educação do litoral paranaense recebem formação
Palladium
Palladium lança campanha de inverno com conchas exclusivas de brinde

Sign up for our newsletter

Acompanhe nossas redes

related articles

Large-DSC3539-Edit-1-1
Shopping celebra Dia Mundial do Rock com programação para crianças
Palladium Curitiba promove diversas atrações musicais ao longo do dia Para comemorar o Dia Mundial...
Saiba mais >
Instituto Positivo
Gestores da Educação do litoral paranaense recebem formação
Projeto reúne coordenadores para melhorar a qualidade educacional No litoral paranaense, a Educação...
Saiba mais >
Palladium
Palladium lança campanha de inverno com conchas exclusivas de brinde
Conjunto de talheres faz parte da campanha colecionável O Palladium Curitiba celebra a chegada do inverno...
Saiba mais >
4031C-20240608-0228-2 - 1-
Zona leste de Londrina ganha novo empreendimento residencial
Sunny Downtown, da Construtora Yticon, conta com duas torres e fica ao lado do Boulevard Shopping A...
Saiba mais >