Sem fronteiras: hospitais-escola recebem estudantes de todas as partes do mundo e replicam conhecimento

Brasileiros, eslovacos, indianos, belgas e poloneses. O que pessoas de países com culturas tão diferentes podem ter em comum? A paixão pela medicina e a vontade de adquirir conhecimentos práticos da profissão em outro país, nos corredores de um hospital universitário de atendimento 100% via Sistema Único de Saúde (SUS) de Curitiba (PR). A estudante de medicina Veronika Bódiová decidiu deixar a Eslováquia para viver a experiência de um estágio internacional por meio de um programa de intercâmbio. “Escolhi o Brasil porque queria conhecer um país mais distante da Europa, com uma cultura diferente. Queria ampliar minha visão e sair da minha zona de conforto”, conta a intercambista que passou pelo Hospital Universitário Cajuru (HUC).

Entre as principais motivações de Veronika, que tem 22 anos, estava a curiosidade sobre as diferenças do sistema de saúde do seu país comparado ao brasileiro. “Me chamou a atenção o grande centro cirúrgico destinado para várias especialidades”, comenta sobre o internato no hospital paranaense. “Certamente desenvolvi habilidades práticas que vão me deixar mais confiante quando fizer pequenos procedimentos. Também, espero levar e propagar a atmosfera profissional de gentileza que aprendi no Brasil”, afirma Veronika, que está na metade do curso de medicina na Universidade de Bratslava.

Assim como a eslovaca, estudantes de medicina de todas as partes do globo terrestre podem participar do programa de intercâmbio que é oferecido desde 2017 dentro do Hospital Universitário Cajuru, que completa 64 anos em agosto. E seguindo os passos de quem vem para cá, brasileiros fazem o caminho contrário na busca de experiências em outro país. João Gabriel Vicentini Karvat, por exemplo, atravessou o Oceano Atlântico para realizar o sonho de um intercâmbio no Universitätsklinikum Carl Gustav Carus, hospital universitário localizado em Dresden, na Alemanha. “Essa vivência me possibilitou ver a medicina sob uma ótica muito diferente. Além de ter me feito valorizar ainda mais o nosso hospital-escola e o nosso sistema de saúde, que são excelentes mesmo em meio a dificuldades”, pontua o acadêmico de medicina pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), que agora realiza o internato no HUC.

Hospital-escola e o aprendizado em meio às adaptações da pandemia

Programas de intercâmbio como os de João e Veronika tiveram que ser suspensos durante os períodos críticos da pandemia da covid-19. Momento em que médicos, estudantes e residentes foram forçados a se adaptarem rapidamente para aprender em meio à crise sanitária. Como foi o caso de Fernanda Proença Lepca, residente médica no Hospital Universitário Cajuru, que se formou antecipadamente ainda no início da pandemia. “Dentro do hospital, vivi o período de maior aprendizado da minha vida. Já sou uma médica muito melhor do que quando entrei”, reconhece. “O que mais me emociona é saber que o hospital mantém uma equipe que cuida com muito carinho dos pacientes. Aprendo muito e sou cada dia um ser humano melhor”, complementa.

Com o papel de unir formação, atendimento à população e pesquisa, os hospitais universitários se mostraram fundamentais durante a pandemia. São nesses ambientes que residentes médicos têm os primeiros contatos com a rotina dos hospitais e, também, desenvolvem um maior comprometimento com cada paciente. É assim que o coordenador de excelência acadêmica do complexo de saúde, Gustavo Lenci Marques, avalia a performance desses profissionais. “O papel de um hospital-escola está na formação. E para que isso aconteça com qualidade é preciso a aproximação entre academia e assistência”, explica Lenci, que também coordena a residência médica em cardiologia. “O envolvimento com o meio acadêmico permite que todos saiam ganhando, tanto pacientes quanto estudantes e profissionais da saúde”.

Dedicada ao desenvolvimento de competências profissionais, a residência médica é uma modalidade de pós-graduação aos formados em cursos de medicina. Nessa fase, o médico destina 60 horas semanais à aprendizagem em serviço, totalizando, ao final de cada ano, mais de 2,8 mil horas de formação, com prioridade para a vivência da prática profissional. A residência médica ocorre em instituições de saúde que funcionam como hospitais-escola, onde os pós-graduandos realizam atividades profissionais sob orientação de médicos especialistas. No Brasil, existem mais de 4 mil programas, 55 especialidades médicas e 59 áreas diferentes de atuação.

Apontar o caminho, servir como guia e estimular o raciocínio são algumas das responsabilidades do preceptor, o médico-professor que incentiva a postura ativa do residente. “Manter as portas abertas para residentes, estudantes e intercambistas é a receita para criar um ambiente onde todos se desenvolvam, permitindo a prática da medicina associada com a ciência, com a medicina de excelência”, analisa Gustavo Lenci. “Como hospital SUS e universitário, sabemos da importância de mantermos a nossa essência na qualidade do ensino e da prática profissional. Isso traz vantagens para os residentes, colaboradores e, principalmente, para o paciente que será melhor assistido”, conclui.

Share:

Latest posts

Large-DSC3539-Edit-1-1
Shopping celebra Dia Mundial do Rock com programação para crianças
Instituto Positivo
Gestores da Educação do litoral paranaense recebem formação
Palladium
Palladium lança campanha de inverno com conchas exclusivas de brinde

Sign up for our newsletter

Acompanhe nossas redes

related articles

Large-DSC3539-Edit-1-1
Shopping celebra Dia Mundial do Rock com programação para crianças
Palladium Curitiba promove diversas atrações musicais ao longo do dia Para comemorar o Dia Mundial...
Saiba mais >
Instituto Positivo
Gestores da Educação do litoral paranaense recebem formação
Projeto reúne coordenadores para melhorar a qualidade educacional No litoral paranaense, a Educação...
Saiba mais >
Palladium
Palladium lança campanha de inverno com conchas exclusivas de brinde
Conjunto de talheres faz parte da campanha colecionável O Palladium Curitiba celebra a chegada do inverno...
Saiba mais >
4031C-20240608-0228-2 - 1-
Zona leste de Londrina ganha novo empreendimento residencial
Sunny Downtown, da Construtora Yticon, conta com duas torres e fica ao lado do Boulevard Shopping A...
Saiba mais >