Agro é pop e tem tudo para ser hi-tech

Márcio Viana*

O agronegócio brasileiro tem todos os predicados míticos de uma história heroica. Sua trajetória remonta ao próprio descobrimento do país, em 1500, com o início da exploração do pau-brasil e da cana-de-açúcar. De lá para cá, a força braçal deu lugar às máquinas e novos frutos dos avanços do setor surgiram. Com a disrupção tecnológica, foi possível colher em áreas que pareciam impossíveis de produzir e sair da desagradável condição de importadores de alimentos para uma potência agrícola. Seria estranho se um setor com tamanho vigor não fosse a galinha dos ovos de ouro para o crescimento econômico nacional.

O agro passou a ser reconhecido como tech e pop. Mais do que isso, o agro é parte viva do nosso dia a dia. Está presente em todas as camadas de produção e consumo de produtos, desde a roupa que vestimos até a comida que ingerimos. Nem mesmo a crise impede que o segmento continue a gerar impacto na movimentação da economia e no incentivo ao desenvolvimento. Agora, após tempos atípicos, resta saber como aprimorar as atividades e preservar resultados satisfatórios. E, sim, a tecnologia é a resposta.

Mas não basta apenas olhar para a tecnologia, é preciso também estar atento em como agregar valor às cadeias produtivas. Nesse ponto, mesmo que o digital supere as distâncias geográficas, não suprime a importância da troca de experiências com os produtores rurais. Só depois de entender o dia a dia de quem trabalha no campo, é que se pode trazer novas soluções para velhos problemas. O desafio é conectar de maneira a furar a bolha, sensibilizando pequenos e grandes agricultores sobre os benefícios das tecnologias: otimização de processos e redução de custos. O agronegócio depende disso para continuar a avançar.

Passos largos no desenvolvimento fazem a ficção científica e a realidade comportarem a face da mesma moeda. Hoje, já não é mais difícil imaginar uma tecnologia que permita plantar, cuidar e colher uma lavoura sem qualquer intervenção direta de um ser humano. Também, não parece ideia de outro mundo drones que possuam sensores para fazer o monitoramento sistemático, produzindo imagens e coletando amostras para avaliar quando, onde e como aplicar fertilizantes, defensivos e outros insumos. Isso tudo é resultado dos avanços em automação, tecnologia da informação e inteligência artificial.

Robôs, computadores e sistemas digitais estão a serviço do homem do campo. É muito dinamismo que faz o Brasil bater recordes de produção e exportação. Enquanto na plantação a colheita segue a pleno vapor, dentro de centros de tecnologia especialistas monitoram as operações para garantir a disponibilidade de máquinas no campo. No final, o futuro não é só de quem tem os melhores recursos naturais, mas de quem aplica melhor a ciência e tecnologia. Apenas assim é possível dar os próximos passos para competir por sementes, cultivares, know-how e implementos. Agro é vida, emprego, renda, oportunidades, economia, preservação, baixo carbono, pesquisa e inovação. E o agro sabe como reunir tudo isso.

*Márcio Viana, diretor-executivo da TOTVS Curitiba

Share:

Latest posts

Sicredi
Associados com cartões Sicredi têm acesso exclusivo à pré-venda da turnê PaGGodin, de Léo Santana
 Prati-Donaduzzi
Apoio e acolhimento: imigrantes e refugiados conquistam oportunidade de crescimento em empresas brasileiras
Estudo clínico realizado pela farmacêutica em parceria com a USP de Ribeirão Preto é o único em andamento no país Créditos: Prati-Donaduzzi
Canabidiol ganha mercado e chega a 4 anos de comercialização em farmácias, desde que foi lançado por farmacêutica que abriu setor no Brasil

Sign up for our newsletter

Acompanhe nossas redes

related articles

Sicredi
Associados com cartões Sicredi têm acesso exclusivo à pré-venda da turnê PaGGodin, de Léo Santana
Além da compra antecipada, usuários do cartão contam com desconto especial de 20% na aquisição dos ingressos...
Saiba mais >
 Prati-Donaduzzi
Apoio e acolhimento: imigrantes e refugiados conquistam oportunidade de crescimento em empresas brasileiras
Número de trabalhadores estrangeiros no país saltou de 62 mil para 181 mil em uma década; jovem do Senegal...
Saiba mais >
Estudo clínico realizado pela farmacêutica em parceria com a USP de Ribeirão Preto é o único em andamento no país Créditos: Prati-Donaduzzi
Canabidiol ganha mercado e chega a 4 anos de comercialização em farmácias, desde que foi lançado por farmacêutica que abriu setor no Brasil
Incorporação no SUS deve ampliar acesso do medicamento à população; Prati-Donaduzzi investe em pesquisas...
Saiba mais >
Créditos: divulgação
Inscrições para Cursinho Solidário vão até o dia 25
Projeto oferece aulas gratuitas para vestibulandos As inscrições para o semiextensivo do Cursinho Solidário,...
Saiba mais >