Apresentações de música clássica exigem peculiaridades de comportamento do público

[flgallery id=560 /]
Celular tocando alto, tosses, conversas, espirros e aplausos em momentos inadequados. Esses são alguns dos exemplos de gafes que as plateias cometem em shows, concertos e óperas. “As gafes existem porque há falta de informação. Mas isso é algo fácil de contornar”, afirma Liana Justus, professora de Formação de Plateias da Universidade Positivo (UP) e coautora de 11 livros sobre o tema.
Quando uma orquestra está tocando, a interação entre os instrumentos é cheia de detalhes. Por isso, a plateia deve acompanhar todos os movimentos para ter bom aproveitamento do espetáculo. “Todas as conversas musicais são coordenadas e dirigidas pelo maestro. Observar esse comando e prestar atenção em silêncio faz com que os detalhes sejam ainda mais interessantes. A concentração nos leva a apreciar e absorver mais a música”, explica Liana. “A música clássica envolve dois universos fantásticos: o sinfônico – instrumentos musicais e a ópera – as vozes. Cada um desses universos possui etiquetas de comportamento próprias”, completa.
A etiqueta é mais exigida em concertos de música clássica, orquestras e óperas do que em shows comuns e, mesmo com o público sendo mais enxuto em espetáculos mais formais, há uma procura grande por esse tipo de entretenimento. Com 22 anos acompanhando esse universo musical, Liana Justus percebe a mudança: “a música clássica está tendo um progresso e desenvolvimento incríveis. Os teatros estão sempre cheios, um público jovem está frequentando-os de forma assídua”, diz.
Curitiba é um bom exemplo para isso. A Orquestra Sinfônica tem prestígio nacional e faz apresentações regulares no Teatro Guaíra. “Temos também a Camerata Antiqua, com sede própria na Capela Santa Maria, com concertos regulares e sempre lotados; temos dois teatros na Universidade Positivo, com apresentações internacionais de orquestras e cantores líricos. Além disso, ainda temos uma variedade de apresentações em museus e casas de cultura. Curitiba é uma cidade que oferece uma vida cultural bem intensa”, observa a musicista.
Segundo Liana, as peculiaridades de uma plateia de música clássica estão no fato de que o público tem que estar sintonizado com o que ocorre no palco, ligado na atuação do maestro, nos diálogos musicais entre os instrumentos e nos solos. “No caso da ópera, conhecer a história que está sendo contada, perceber nos duetos quando os artistas cantam músicas e textos diferentes, simultaneamente. Dessa maneira, a concentração e atenção vêm de forma natural. Para isso, são necessárias informações culturais que ajudam muito”, detalha. Ainda segundo a especialista, é nítida a conscientização do público brasileiro nas plateias pelo país, que se deve ao aumento de interesse sobre o assunto.
O curso de Formação de Plateia é oferecido pela UP Maturidade, no câmpus Praça Osório, em Curitiba. Segundo Liana, o programa desenvolve a concentração, a memória e o raciocínio, além de motivar os participantes a assistir a concertos e desfrutar do que a cidade oferece de melhor em artes musicais. “O convívio constante com a música também proporciona sintonia com uma variedade de sentimentos e emoções, de maneira natural e espontânea, como energia, alegria e aumento da autoestima”, completa. Mais informações e inscrições pelo telefone (41) 3068-7800.
 
Sobre a Universidade Positivo – A Universidade Positivo (UP) concentra, na Educação Superior, a experiência educacional de mais de quatro décadas do Grupo Positivo. A instituição teve origem em 1988 com as Faculdades Positivo, que, dez anos depois, foram transformadas no Centro Universitário Positivo (UnicenP). Em 2008, foi autorizada pelo Ministério da Educação a ser transformada em Universidade. Atualmente, oferece 56 cursos de Graduação (31 cursos de Bacharelado e Licenciatura e 25 Cursos Superiores de Tecnologia), três programas de Doutorado, quatro programas de Mestrado, centenas de programas de Especialização e MBA e dezenas de programas de Extensão. Em Curitiba, a UP conta com três campus: Ecoville, que ocupa uma área de 424,8 mil metros quadrados, Praça Osório, no centro da cidade, e Mercês – Catarina Labouré. Lançou, em 2013, seu programa de Educação à Distância, com dezenas de polos em todo o país. É considerada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) a melhor universidade privada do Paraná, pelo quarto ano consecutivo.

Share:

Latest posts

a-boy-is-reading-a-book-a-child-is-reading-2023-11-27-04-50-03-utc1
Exposição gratuita traz livros infantis reinterpretados a biblioteca de Universidade
pregnant-woman-taking-pills-or-vitamins-standing-i-2024-02-27-17-35-04-utc
Só paracetamol? Por que é tão difícil prescrever medicamentos para gestantes
fitness-women-and-city-friends-running-in-street-2023-11-27-05-20-27-utc
Mente sã, corpo são: benefícios da corrida para equilíbrio mental

Sign up for our newsletter

Acompanhe nossas redes

related articles

a-boy-is-reading-a-book-a-child-is-reading-2023-11-27-04-50-03-utc1
Exposição gratuita traz livros infantis reinterpretados a biblioteca de Universidade
A exposição gratuita “Diversas leituras, múltiplas vozes” chega à Biblioteca Central da Universidade...
Saiba mais >
pregnant-woman-taking-pills-or-vitamins-standing-i-2024-02-27-17-35-04-utc
Só paracetamol? Por que é tão difícil prescrever medicamentos para gestantes
Intervenção não medicamentosa pode ser saída para mulheres grávidas lidarem melhor com episódios de dor “Grávida...
Saiba mais >
fitness-women-and-city-friends-running-in-street-2023-11-27-05-20-27-utc
Mente sã, corpo são: benefícios da corrida para equilíbrio mental
A prática da corrida vai muito além do simples exercício físico. Considerando os inúmeros benefícios...
Saiba mais >
1708725294-4501-IMG-FOTOMONTAGEM-R01 (1)
Com estrutura de lazer sofisticada, Maringá ganha novo empreendimento de alto padrão na Avenida Guedner
Seen, novo lançamento da A.Yoshii, apresenta arquitetura contemporânea em localização privilegiada Com...
Saiba mais >