Artigo: Poesia em quatro atos

[flgallery id=827 /]

Marta Morais da Costa*

Crianças gostam de jogos verbais que brinquem com sonoridades e ritmos. A atração que exercem sobre os pequenos revela-se nas parlendas, nos trava-línguas e na poesia. O corpo das crianças é demonstração concreta desse prazer. O movimento da dança, o olhar fixo e brilhante, a boca sempre pronta a emitir sons cantarolados e a sorrir expõem claramente o quanto a provocação dos textos poéticos encontra seus interlocutores mais apropriados.
A poesia para crianças atende aos mais diferentes objetivos, desde os fins escolares pedagógicos ao mais descompromissado poema lúdico; dos textos cívicos à poesia do cotidiano. Um projeto destinado à formação de leitores de literatura não pode ignorar a edição de obras poéticas. A Editora Positivo criou uma série especial para estas obras, denominada “De fio a pavio”. O nome traz na marca da rima a evocação de poesia. Também o sentido dos substantivos (fio e pavio) aponta para a transformação da matéria prima em possibilidade de luz, de iluminação. Os títulos editados atendem a diversidade, não apenas de autores ou assuntos, mas a diversidade de modos de tratar o fato poético e suas funções junto ao público leitor. Das publicações dessa série foram selecionados alguns exemplos, sem demérito aos não mencionados.
O primeiro livro escolhido foi “Viva voz!” (R$39,80), de Léo Cunha com ilustrações de Flávio Fargas. O poema inicial já define uma proposta de leitura:
Leia este livro em viva voz,
deixe o estilo pra depois,
deixe a timidez na gaveta.
 
Solte a garganta sem medo,
que poesia é sopro e vento,
não é só papel e caneta. (p.5)
Para demonstrar a viva voz dos textos, os poemas curtos são rimados, geralmente em versos curtos de sete sílabas poéticas, que é o verso mais popular e musical da língua portuguesa. E os assuntos tratam de curativos e machucados de lobos e pinguins, de ioiô e dominós, de mistério, bagunça e piada. O que sobressai nas provocações dos poemas é um convite para a brincadeira com sons e palavras e, acima de tudo, propõe o diálogo do poeta com a criança, inteligente, alegre e livre. Livre até para apontar defeitos no adulto: “Só gente grande consegue/ mentir sem piscar o olho.” (p.8)
Retomando a tradição das adivinhas, Adriano Messias escreveu “Que bicho está no verso?” (R$39,80), com ilustrações de Cris Eich. Desfilam nesse livro 15 animais, apresentados por uma quadrinha enigmática, cuja resposta aparece na página seguinte, no verso dos versos. E as apresentações se fazem por meio de imagens coloridas, de referências a situações do cotidiano infantil. A linguagem prima pela simplicidade e extrema oralidade, demonstrando que a poesia está em todo lugar e sua expressão verbal busca qualquer leitor, sem erudições.
Nunca usou sapatinhos
e nunca teve chulé.
São mesmo muitos pezinhos.
Que bicho será que é?
É marcante neste livro a associação da poesia à natureza, criando um ambiente de leitura que aproxima texto e leitor, dada a reconhecida atração do público infantil por animais e plantas. Desta forma, o livro une a curiosidade, o conhecimento e a ligação dos leitores infantis com sua realidade e interesses.
Marcos Bagno escreveu “O tempo escapou do relógio e outros poemas” (R$35,50), livro que Marilda Castanha ilustrou magistralmente. São poemas direcionados a leitores mais amadurecidos. Por isso, têm maior extensão, metáforas mais complexas e profundidade de pensamento. Sua inspiração são cantigas de roda, parlendas e adivinhas e uma variedade de recursos poéticos que fazem da palavra – desenhada, sonora, lúdica – a matéria-prima do fazer poético. São poemas que investem em assuntos e situações desafiadores, como “Dia dos pais”, em que o menino homenageia seus dois pais, Pedro e João. Ou “Algazarra” em que a base é a montagem/desmontagem de palavras, para iluminar com novos sentidos cada vocábulo: “”Algazarra é um tipo de alga?”, “Poesia é que tipo de pó?”, “Amargar é sofrer por amar?”. Ou o poema título em que o tempo ao fugir revoluciona o universo. Enfim, o jogo de palavras, a inovação e a provocação constituem o modo de apresentar a poesia para os leitores em formação.
Em “Estações da poesia” (R$39,80), o poeta Luís Dill e as aquarelas de Rubens Matuck constroem pra os leitores infantis uma natureza poética entrevista nas quatro estações do ano. São poemas curtos, em três versos, de tradição japonesa e denominados haicais. O tratamento dado à natureza é delicado, metafórico, colorido e extremamente musical. Sem seguir à risca o molde dos poemas japoneses em relação ao tamanho dos versos, nem por isso os textos de Luís Dill perdem sua natureza de fotografias poéticas.
Telefone sem fio:
brisa que enche a luva
vira vento de chuva
………………..
Gato de rua
na poça d’água
bebe a lua
São fragmentos de realidade que encantam os olhos, a imaginação e o pensamento. É força da poesia infantil a conquistar novos leitores e a dar continuidade à tradição poética milenar. Do fio das palavras à iluminação da sensibilidade e da apropriação do mundo.
 
*Marta Morais da Costa é consultora de literatura da Editora Positivo, mestre e doutora em Literatura Brasileira pela USP. Professora aposentada da UFPR e da PUCPR. Pesquisadora da Cátedra de Leitura Unesco-PUC-Rio. Membro da Academia Paranaense de Letras. Autora de Mapa do mundo (2006), Palcos e jornais (2009), Sempreviva (2009) e Hoje tem espetáculo? Tem, sim, senhor! (2016) entre outros.

Share:

Latest posts

a-boy-is-reading-a-book-a-child-is-reading-2023-11-27-04-50-03-utc1
Exposição gratuita traz livros infantis reinterpretados a biblioteca de Universidade
pregnant-woman-taking-pills-or-vitamins-standing-i-2024-02-27-17-35-04-utc
Só paracetamol? Por que é tão difícil prescrever medicamentos para gestantes
fitness-women-and-city-friends-running-in-street-2023-11-27-05-20-27-utc
Mente sã, corpo são: benefícios da corrida para equilíbrio mental

Sign up for our newsletter

Acompanhe nossas redes

related articles

a-boy-is-reading-a-book-a-child-is-reading-2023-11-27-04-50-03-utc1
Exposição gratuita traz livros infantis reinterpretados a biblioteca de Universidade
A exposição gratuita “Diversas leituras, múltiplas vozes” chega à Biblioteca Central da Universidade...
Saiba mais >
pregnant-woman-taking-pills-or-vitamins-standing-i-2024-02-27-17-35-04-utc
Só paracetamol? Por que é tão difícil prescrever medicamentos para gestantes
Intervenção não medicamentosa pode ser saída para mulheres grávidas lidarem melhor com episódios de dor “Grávida...
Saiba mais >
fitness-women-and-city-friends-running-in-street-2023-11-27-05-20-27-utc
Mente sã, corpo são: benefícios da corrida para equilíbrio mental
A prática da corrida vai muito além do simples exercício físico. Considerando os inúmeros benefícios...
Saiba mais >
1708725294-4501-IMG-FOTOMONTAGEM-R01 (1)
Com estrutura de lazer sofisticada, Maringá ganha novo empreendimento de alto padrão na Avenida Guedner
Seen, novo lançamento da A.Yoshii, apresenta arquitetura contemporânea em localização privilegiada Com...
Saiba mais >