Artigo: Rédeas mais apertadas

Por Flávio de Azambuja Berti, coordenador da Pós-Graduação em Direito Tributário da Universidade Positivo (UP) e Procurador do Ministério Público de Contas do Paraná

Com apoio na Lei Complementar 105/2001, a Secretaria da Receita Federal veiculou normativa regulamentadora que impõe aos bancos a obrigação de comunicarem ao Fisco qualquer movimentação financeira feita pelos contribuintes pessoa-física que ultrapassar R$2 mil reais. Trata-se da Instrução Normativa 1.571, a qual começa a repercutir nos meios jurídicos diante de questionamentos afetos à eventual ofensa ao direito de sigilo de dados financeiros do contribuinte.

De fato, pendem de decisão no Supremo Tribunal Federal ações diretas de inconstitucionalidade contra dispositivo da mencionada Lei Complementar, o qual permite ao Fisco o acesso a informações bancárias e financeiras dos contribuintes, independentemente de prévia autorização judicial. Para as pessoas físicas, sempre que houver movimentação acima de R$2 mil – e para as pessoas jurídicas, sempre que a movimentação ultrapasse os R$6 mil – a Receita Federal deverá ser comunicada pelas instituições financeiras, a fim de cruzar tais dados com os informativos fiscais apresentados pelos contribuintes em suas declarações de renda e demais demonstrativos exigidos pela legislação com o escopo de apurarem-se eventuais sonegações fiscais. A propósito do assunto, observe-se que o COAF – órgão de controle em âmbito federal – já recebe, atualmente, informações de todas as movimentações financeiras acima de R$5 mil.
Por força de garantia estabelecida na Constituição Federal, os mesmos contribuintes têm assegurado o direito ao sigilo de seus dados financeiros, salvo quando determinação judicial autorizar o acesso a tais dados. O ponto sensível da discussão é saber se a Receita Federal, com apoio em lei complementar, pode ter acesso livre a tais dados quando ultrapassado o limite de valores previsto na norma.
Por um lado, notória a necessidade de efetiva e mais eficiente atuação dos órgãos de controle sobre movimentações financeiras de pessoas físicas e jurídicas, não apenas para observar-se o correto recolhimento dos tributos devidos pelos contribuintes senão também para otimizarem-se os processos de depuração da corrupção que atualmente assola a relação entre o público e o privado e tanto causa indignação aos contribuintes sérios e cumpridores de seus deveres.
Todavia, também não parece correto menosprezar os mais básicos direitos destes mesmos contribuintes, tais como a presunção de honestidade e correição inerente a qualquer cidadão e a proteção de seus dados financeiros, fiscais e pessoais. Há ainda uma corrente que defende a possibilidade de tal acesso de informações e, por via de consequência, da validade da IN 1.571, sob o argumento de que a garantia prevista genericamente no texto da Constituição Federal a respeito do “sigilo de dados” não incluiria movimentações financeiras acima de valores a partir dos quais haveria uma prévia suspeição. De toda forma, urge uma posição definitiva do Supremo a propósito da validade ou não da Lei Complementar 105. Quem viver, verá!

Share:

Latest posts

mustang2 (1)
Ford Slaviero realiza evento em comemoração aos 60 anos do lendário Mustang
CIEE-por-GusBenke-50
De Libras à logística: cursos gratuitos são oportunidade de capacitação com certificado
3903C-20230302-0048 (1)
Vero Vittá: inspiração para viver com qualidade e exclusividade no alto da Gleba Palhano

Sign up for our newsletter

Acompanhe nossas redes

related articles

mustang2 (1)
Ford Slaviero realiza evento em comemoração aos 60 anos do lendário Mustang
22.° edição do evento reúne fãs do modelo em Curitiba Realizado na concessionária Ford Slaviero, uma...
Saiba mais >
CIEE-por-GusBenke-50
De Libras à logística: cursos gratuitos são oportunidade de capacitação com certificado
CIEE/PR oferece 22 opções presenciais em Curitiba para pessoas a partir de 14 anos; formação em Libras...
Saiba mais >
3903C-20230302-0048 (1)
Vero Vittá: inspiração para viver com qualidade e exclusividade no alto da Gleba Palhano
Lançamento de alto padrão da A.Yoshii traz espaços de lazer diferenciados e localização privilegiada...
Saiba mais >
FOTO-HARROCK-JE-2 (1)
Hard Rock Cafe Curitiba anuncia novidades no cardápio de almoço
Lunch menu tem novos preços e opções para quem busca pratos executivos com um toque de Rock’n Roll Conhecido...
Saiba mais >