De decoração a materiais didáticos, os amigurumis estão em alta

[flgallery id=2949 /]

Amigurumi, na tradução literal do japonês é “bicho de pelúcia de crochê”, uma técnica japonesa que cria pequenos bonecos feitos de crochê ou tricô, em variados formatos, dependendo da imaginação de quem o faz. O método tem se difundido no Brasil e pode ser encontrado em formato de bichinhos, chaveiros, flores, personagens, etc. 

A assistente administrativa Elizabete de Sousa Silva faz amigurumis há alguns anos nas horas vagas. Ela já fez lembrancinhas de casamento, presépios natalinos, enfeites para maternidade, mas nunca imaginou que seus bichinhos de crochê fossem tão longe. Desde os 14 anos, Elizabete costura roupas e tem habilidades com artesanato. Ela começou a produzir os amigurumis quando foi convidada para um chá de fraldas e não sabia o que dar de presente. “Eu queria dar algo diferente, então pesquisei na internet como fazer e consegui elaborar um elefante. Minha amiga adorou a lembrancinha e, desde então, começaram a surgir encomendas”, conta. 

Após dar uma entrevista para a revista interna do grupo em que trabalha, Elizabete foi convidada a fazer as peças que ilustrariam as capas dos materiais didáticos do Sistema de Ensino Aprende Brasil. Os amigurumis de Elizabete compõem mais de cinquenta mil livros que acabam de ser impressos e chegarão para a Educação Infantil de municípios brasileiros no próximo ano letivo. 

Os amigurumis são confeccionados geralmente com linhas de algodão, mas outros materiais também podem ser utilizados. Algumas características os tornam inconfundíveis: geralmente possuem formas esféricas e cilíndricas, a cabeça e os olhos grandes em relação ao restante do corpo e são baixinhos, variando entre 10 e 30 centímetros. Seja para vender, presentear ou mesmo como um passatempo, o amigurumi faz muito sucesso entre todas as idades e não é difícil de fazer.

Como fazer amigurumi

É importante ter algum conhecimento de crochê ou tricô antes de começar, mas também é possível aprender os pontos básicos para começar e se aprimorar com a prática. Para a confecção, é preciso alguns materiais como linhas, agulhas, enchimento, tesoura, fita métrica, botões, feltro e cola.

O ponto de crochê mais comum para fazer amigurumi é o ponto correntinha e, em seguida, transformar a correntinha em esferas. No começo, o ideal é escolher uma linha mais grossa, para conseguir enxergar os pontos e ter mais facilidade nos movimentos da mão. Com o tempo e a prática, pode-se diminuir o tamanho da linha para um trabalho mais preciso. 

Na internet é possível encontrar inspirações e até moldes e tutoriais para a confecção de inúmeros amigurumis. A dica é abusar das cores e texturas e ter perseverança e determinação. 

Sobre o Aprende Brasil

O Sistema de Ensino Aprende Brasil oferece à rede municipal de Educação não apenas material didático, mas uma série de recursos adicionais (avaliações, monitoramento, ambiente de aprendizagem digital, assessoria pedagógica e formação continuada aos professores, além de material didático integrado e diferenciado), que contribuem para o melhor aprendizado dos alunos da Educação Infantil aos anos finais do Ensino Fundamental da rede pública. Atualmente, o Aprende Brasil atende 243.000 alunos em 199 municípios brasileiros. Saiba mais em http://sistemaaprendebrasil.com.br/.

Share:

Latest posts

volta2
Projeto da rede pública de Mariópolis vence concurso nacional de Educação
Aposentada Anete Langaro retomou atividades dias após realizar artroplastia total de joelho Créditos: Arquivo pessoal
Técnicas avançadas favorecem cirurgias menos invasivas em idosos
Tatielle Alyne, atleta de futebol feminino de 19 anos, tem difícil missão de lidar com uma lesão enquanto corre atrás de seus sonhos no esporte Créditos: Arquivo pessoal
Mulheres enfrentam maior risco de lesões em joelhos na prática de esporte

Sign up for our newsletter

Acompanhe nossas redes

related articles

volta2
Projeto da rede pública de Mariópolis vence concurso nacional de Educação
Trabalho sobre diferentes culturas foi feito com turma da Educação Infantil O projeto “Vamos dar a...
Saiba mais >
Aposentada Anete Langaro retomou atividades dias após realizar artroplastia total de joelho Créditos: Arquivo pessoal
Técnicas avançadas favorecem cirurgias menos invasivas em idosos
Hospitais registram crescimento superior a 40% em procedimentos para pacientes acima de 70 anos; avanços...
Saiba mais >
Tatielle Alyne, atleta de futebol feminino de 19 anos, tem difícil missão de lidar com uma lesão enquanto corre atrás de seus sonhos no esporte Créditos: Arquivo pessoal
Mulheres enfrentam maior risco de lesões em joelhos na prática de esporte
Estudos indicam que chance é até oito vezes maior entre as jogadoras e o futebol é campeão nesse tipo...
Saiba mais >
Espaços para prática da fé em hospitais são demonstração de respeito às necessidades de pacientes e familiares Créditos: Divulgação
Espaços para prática da fé e espiritualidade são aliados no tratamento e internações médicas
Acolhimento se estende a pacientes, familiares e profissionais da saúde, com iniciativas perto de centros...
Saiba mais >