Dengue: retorno de cepas acende alerta para aumento de casos graves e traz dúvidas sobre melhor momento para buscar atendimento

Depois de sete anos sem sorotipo 3 da dengue no Brasil, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) identificou quatro casos de pessoas infectadas com esse tipo no país, um deles em Curitiba, no Paraná. Segundo a instituição, a doença foi importada, visto que a pessoa diagnosticada havia viajado para o Suriname, onde pode ter contraído a dengue. Os outros três casos foram autóctones do estado de Roraima, com pacientes que não tinham histórico de viagens.

Para o infectologista do Hospital São Marcelino Champagnat, Bernardo Almeida, a volta do sorotipo 3 acende o alerta para casos graves da doença. “A preocupação é porque essa cepa da dengue não circula intensamente há muito tempo e grande parte da população não possui imunidade para esse sorotipo. Com mais de uma cepa circulando, aumentam as chances de  reinfecção e incidência de casos graves, comprovados pelos oito óbitos já registrados no Paraná”.

Fases da dengue

A dengue tem três estágios importantes que devem ser observados. O primeiro, chamado de febril, dura de três a sete dias e o principal sintoma é a febre, mas que vem acompanhado de dor de cabeça, no fundo dos olhos, vômito, dor no corpo, articular e eventualmente manchas na pele. A segunda fase é conhecida como crítica e nem todos chegam. Nela estão as manifestações hemorrágicas, sangramentos e choque, que é quando a pressão arterial cai a níveis críticos e dura normalmente três dias, mas pode chegar a mais tempo em pessoas que acabam internadas. A última fase é a de recuperação que dura de dois a quatro dias e é marcada pelo cansaço e fadiga.

“O momento certo de pessoas com suspeita de dengue procurarem um hospital é na segunda fase e pode ser monitorada pelo paciente ou cuidador. Principalmente, se surgirem dor abdominal intensa, vômito persistente e sangramentos nas fezes ou gengiva, grande irritabilidade e mais sono do que o normal e ainda quando tem queda na pressão mesmo deitado ou em pé”, explica o infectologista. “O tratamento é basicamente suporte com medicações como anti térmico e analgésicos, além de hidratação”, complementa.

Share:

Latest posts

Luara Mandelli é um exemplo de atleta que tem conseguido participar de campeonatos graças aos seus patrocínios, como o da ClearCorrect Créditos: Lorenzo Bazo
Patrocínios impulsionam sonhos olímpicos
Parintins (1)
Do sertanejo à comédia, Teatro Positivo divulga programação de março
3670c-20210320-0112 (1)
Iluminação de interiores: conforto visual e sofisticação em cada detalhe

Sign up for our newsletter

Acompanhe nossas redes

related articles

Luara Mandelli é um exemplo de atleta que tem conseguido participar de campeonatos graças aos seus patrocínios, como o da ClearCorrect Créditos: Lorenzo Bazo
Patrocínios impulsionam sonhos olímpicos
Mesmo com muita garra e persistência, apoio de empresas é fator determinante para diversos atletas brasileiros É...
Saiba mais >
Parintins (1)
Do sertanejo à comédia, Teatro Positivo divulga programação de março
Além dos shows e peças teatrais, Teatro recebe espetáculos do tradicional Festival de Curitiba espetáculos...
Saiba mais >
3670c-20210320-0112 (1)
Iluminação de interiores: conforto visual e sofisticação em cada detalhe
Arquiteta da A.Yoshii dá dicas sobre o uso da iluminação para transformar ambientes e criar verdadeiras...
Saiba mais >
©2021 Ebraim Martini
Em busca de um carro por assinatura? Confira dicas para não errar na escolha do plano
Com opções contratuais de 12, 18 e 24 meses e franquias de 500 a 2 mil quilômetros por mês, especialista...
Saiba mais >