Tendência de apartamentos “openview” se consolida na pandemia

Uma pesquisa da Offerwise revelou que uma em cada seis pessoas se mudou durante a pandemia e 73% dos brasileiros passaram a enxergar suas casas, e respectivas necessidades, sob outro ângulo. Por isso, o estoque de imóveis com varanda e mais amplos chegou a patamares mais baixos dos últimos dez anos. Isso se deve, principalmente, ao comportamento do consumidor, que passou a preferir apartamentos mais amplos, com espaços integrados, sem paredes e móveis de grande porte.

Uma das principais mudanças foi a necessidade de apartamentos cada vez mais integrados. Também chamada de “openview”, essa configuração  permite “um olhar para o todo”. Em outras palavras, os moradores conseguem ter mais espaço dentro de casa, com vários ambientes conectados e, ao mesmo tempo, manter sua privacidade. Presentes nos empreendimentos contemporâneos, os cômodos não são mais delimitados por paredes: o conceito tem sido aplicado, por exemplo, na cozinha, que se conecta diretamente com a sala de jantar que, por sua vez, não possui fronteiras visuais com a varanda – que tem passagem direta para a sala de TV.

“Esses projetos arquitetônicos visam destacar a amplitude visual e a sensação de ambientes espaçosos e únicos. O ponto focal é a integração entre os espaços, mas não podemos esquecer de suas finalidades. Cada área tem uma usabilidade específica e uma das principais dicas para delimitar os espaços e organizar o fluxo de convivência são as divisórias, que podem ser recolhidas ou abertas de acordo com o momento”, explica a arquiteta do Grupo A.Yoshii, Andressa Bassinelli.

Divisórias decorativas e funcionais: como otimizar as dimensões 

As divisórias são opções práticas e funcionais para estruturar e planejar ambientes e, ainda, manter a integralização dos espaços. A solução garante a delimitação dos cômodos, preservando as especificidades e particularidades de cada um deles, sem isolar os moradores. “Além de melhorar a circulação de ar e entrada de luz, as divisórias são usadas para integrar e manter o convívio das áreas sociais e resolver alguns desafios como, por exemplo, criar um ambiente dentro de outro ambiente. No decorado do empreendimento residencial Quintessence, em Curitiba, nós incluímos um pequeno escritório na sala criando uma porta retrátil de vidro que cumpre a função de dividir os espaços sem a necessidade de erguer uma parede”, explica Andressa.

Segundo ela, as divisórias são intervenções descomplicadas que conferem flexibilidade no layout e possibilitam mudanças futuras, sem a necessidade de obras, grandes despesas e desperdício de tempo. “As divisórias são versáteis porque dispensam alvenaria e reformas, como quebrar parede, mexer no piso e no forro de um ambiente. Além disso, são lindos itens decorativos, mas, quando o morador quiser mudar a decoração e o fluxo do imóvel, ele remove a divisória com mais facilidade”, orienta a arquiteta.

Essas soluções arquitetônicas são uma solução funcional e decorativa cada vez mais utilizada pelo Grupo A.Yoshii em seus empreendimentos residenciais de alto padrão. No Epic, projeto mais recente da construtora em Curitiba, essa foi a aposta para dividir a sala de TV da sala de estar e, ainda, separar o ambiente da cozinha com uma divisória retrátil de vidro, que assume as funções de parede e porta. “Foi uma escolha muito inteligente e contemporânea para distinguir os ambientes. Até mesmo quando o morador estiver cozinhando e quiser evitar que cheiros ou fumaça se espalhem para outras áreas do apartamento, basta fechar a divisória de vidro”, complementa Andressa.

Atmosfera ampla, integrada e decorada: Confira as opções

A arquitetura e a decoração oferecem soluções criativas e inspiradoras para os ambientes. Com a ampliação do uso das divisórias, houve um aumento exponencial de modelos disponíveis no mercado. Confira alguns estilos:

  • Vidro;
  • Espelhada;
  • Marcenaria com painéis de diversos estilos em madeira;
  • Biombo;
  • Mobília como um aparador nas costas de um sofá ou móveis altos e vazados, formando assim uma separação sutil de ambientes;
  • Serralheria;
  • Cobogós;
  • Estilo industrial com porta pantográfica.

 

Grupo A.Yoshii

Fundado em 1965, o Grupo A.Yoshii já construiu mais de 2 milhões de m² do Sul ao Nordeste do Brasil, entre obras industriais, edifícios corporativos e residenciais, escolas, universidades, teatros e centros esportivos. É composto pela A.Yoshii Engenharia, com sólida atuação em construções de edifícios residenciais e comerciais de alto padrão em Londrina, Maringá, Curitiba e Campinas; pela Yticon Construção e Incorporação, que realiza empreendimentos econômicos, localizados em regiões de potencial valorização em municípios do Paraná e interior de São Paulo; pelo Instituto A.Yoshii, voltado para a inserção social e a democratização cultural; e atua em Obras Corporativas, atendendo a grandes corporações em suas plantas industriais, nos mais variados segmentos da economia, como papel e celulose, alimentício, químico, agronegócio, energia, assim como usinas sucroalcooleiras, centros logísticos, plantas automobilísticas, entre outros. Mais informações: www.ayoshii.com.br.

Share:

Latest posts

volta2
Projeto da rede pública de Mariópolis vence concurso nacional de Educação
Aposentada Anete Langaro retomou atividades dias após realizar artroplastia total de joelho Créditos: Arquivo pessoal
Técnicas avançadas favorecem cirurgias menos invasivas em idosos
Tatielle Alyne, atleta de futebol feminino de 19 anos, tem difícil missão de lidar com uma lesão enquanto corre atrás de seus sonhos no esporte Créditos: Arquivo pessoal
Mulheres enfrentam maior risco de lesões em joelhos na prática de esporte

Sign up for our newsletter

Acompanhe nossas redes

related articles

volta2
Projeto da rede pública de Mariópolis vence concurso nacional de Educação
Trabalho sobre diferentes culturas foi feito com turma da Educação Infantil O projeto “Vamos dar a...
Saiba mais >
Aposentada Anete Langaro retomou atividades dias após realizar artroplastia total de joelho Créditos: Arquivo pessoal
Técnicas avançadas favorecem cirurgias menos invasivas em idosos
Hospitais registram crescimento superior a 40% em procedimentos para pacientes acima de 70 anos; avanços...
Saiba mais >
Tatielle Alyne, atleta de futebol feminino de 19 anos, tem difícil missão de lidar com uma lesão enquanto corre atrás de seus sonhos no esporte Créditos: Arquivo pessoal
Mulheres enfrentam maior risco de lesões em joelhos na prática de esporte
Estudos indicam que chance é até oito vezes maior entre as jogadoras e o futebol é campeão nesse tipo...
Saiba mais >
Espaços para prática da fé em hospitais são demonstração de respeito às necessidades de pacientes e familiares Créditos: Divulgação
Espaços para prática da fé e espiritualidade são aliados no tratamento e internações médicas
Acolhimento se estende a pacientes, familiares e profissionais da saúde, com iniciativas perto de centros...
Saiba mais >